Meu perfil

Desconectar

Facebook
Instagram
Twitter
Youtube
Whatsapp

Meu perfil

Desconectar

FUNDADO EM 1894 E ONLINE DESDE 1996

Portuguesa Santista

Sem salário, jogadores da Portuguesa Santista pedem socorro para pagar contas

Alguns atletas estão três meses sem receber

ATribuna.com.br

21 de março de 2024 às 17:17Modificado em 22 de março de 2024 às 07:51
Briosa passa por situação financeira complicada

Briosa passa por situação financeira complicada ( Foto: Mariana Kasten/ Agência Briosa )

Às vésperas do jogo de ida das quartas de final da Série A2 do Paulista, no domingo (24), em Ulrico Mursa, contra o XV de Piracicaba, os jogadores da Portuguesa Santista perderam a paciência. Com salários atrasados, eles publicaram nota nas redes sociais reclamando da situação.

“Hoje, completamos mais um mês de salários atrasados, dois meses para alguns, três para outros, e assim, dia após dia, os problemas e contas particulares só aumentam”, começa o texto. “Queremos por meio desta nota pedir a ajuda de alguém que possa resolver nosso problema salarial, pois estamos nos sentindo desgastados, boletos atrasados, como as contas de água e luz que correm o risco de serem cortadas, e ainda passando a humilhação de sermos cobrados por falta de pagamento de aluguel, com situação precária dentro de casa na parte de alimentação. Somos pais de famílias e saímos de longe em busca de algo melhor para todos. Não temos a realidade salarial dos grandes clubes, um mês sem receber já é algo desestabilizador financeiramente”, prossegue a nota.

O texto se encerra com o pedido para que “todos se mobilizem para essa parte ser resolvida”.

A Portuguesa Santista vive situação particularmente difícil em uma temporada que tinha tudo para ser favorável financeiramente. Afinal, depois de conquistar a Copa Paulista em 2023, a equipe se classificou para a Copa do Brasil. Embora tenha sido eliminada logo na estreia, com a derrota por 1 a 0 para o Caxias em Ulrico Mursa, a Briosa teve direito à cota de R$ 787,5 mil da CBF.

Entretanto, por causa de uma cobrança judicial do ex-presidente Lupércio Conde, o dinheiro foi bloqueado. Ele cobra aportes que fez no clube em 2016 e 2017, quando foi mandatário. Até o momento, não houve acordo entre as partes. E os jogadores são os maiores prejudicados.