Meu perfil

Desconectar

Facebook
Instagram
Twitter
Youtube
Whatsapp

Meu perfil

Desconectar

FUNDADO EM 1894 E ONLINE DESDE 1996

São Vicente

Fechamento de Pronto-Socorro em São Vicente revolta moradores; médicos afirmam estar sem receber

População é contra paralisação dos atendimentos; Prefeitura diz que deixará só uma ambulância no local

Nicollas Felix

28 de janeiro de 2024 às 21:21
PS será fechado para obras

PS será fechado para obras ( Foto: Arquivo Pessoal )

Moradores de São Vicente fizeram uma manifestação na manhã do último sábado (27), em protesto ao fechamento do Pronto-Socorro do bairro Parque das Bandeiras, na Área Continental. A unidade terá o funcionamento suspenso às 7h desta segunda-feira (29) para uma reforma no prédio. Além de os munícipes ficarem sem atendimento, médicos que atendem no local afirmam estar com os pagamentos em atraso.

A Prefeitura informou que o PS passará por reformas para melhorias, porém, a população se mostra insatisfeita com a notícia, já que o fechamento prejudicaria o atendimento dos residentes nos bairros próximos, forçando-os a se locomover uma distância maior para receber atendimento médico. As opções seriam as unidades nos bairros Rio Branco ou Humaitá.

Segundo o advogado Ruy Eliseu de Matos Pereira, que representa moradores da região, uma ação judicial contra o fechamento total do local já foi iniciada para confrontar a decisão da Prefeitura. De acordo com o advogado, o promotor de justiça Rodrigo Dacal solicitou posicionamento do prefeito de São Vicente, Kayo Amado, mas não houve resposta.

Matos Pereira esclarece que os munícipes não são contra as reformas no Pronto-Socorro, apenas não desejam que o mesmo tenha o atendimento suspenso. Eles defendem a reforma por etapas, com a unidade aberta.

Pagamento e demissões

Ainda de acordo com o advogado, há meses, a Prefeitura passou a demitir aos poucos os funcionários da unidade, como trabalhadores de limpeza e recepcionistas.

Um médico que atua há anos no local e preferiunão ser identificado, confirmou para a reportagemdeA Tribuna que os profissionais já foram dispensados de realizar suas atividades no local. O último plantão será realizado na madrugada desta segunda-feira (29), até às 7h.

Além disso, o médico relatou que o pagamento salarial dos meses de dezembro e janeiro da categoria está atrasado, embora, segundo ele, no contrato com a Prefeitura conste que possa haver um atraso de até 45 dias.

O que diz a Prefeitura?

Em nota, a Administração Municipal de São Vicente informou que o PS Parque das Bandeiras passará por reforma estrutural completa para atender os moradores "com mais conforto e dignidade".

A Prefeitura disse, também, que durante a execução das obras - que têm previsão de 150 dias - os atendimentos serão transferidos para o PS do bairro Rio Branco, situado na Avenida Ulisses Guimarães, 721.

Ainda de acordo com a Administração, a reforma da unidade terá investimento de R$ 1,5 milhão e o recurso é proveniente de parte da venda do terreno da Avenida Capitão-Mor Aguiar, onde funcionava a antiga Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedup).

Em vez de PS, ambulância

A Prefeitura disse, ainda, que "a Sesau disponibilizará, durante o período de obras, uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que será mantida no local nas 24 horas do dia, para que a população do bairro seja atendida pelo serviço de assistência pré-hospitalar".

A nota, porém, não citou nada em relação aos pagamentos em atraso dos médicos ou sobre a possibilidade de atendimento à solicitação da população de efetuar a reforma por partes e manter o atendimento na unidade.